O Manifesto do Trabalho Colaborativo

  • 0

O Manifesto do Trabalho Colaborativo

Você trabalha de forma colaborativa com suas equipes, pares e superiores? Muito provavelmente, a resposta será sim. O trabalho colaborativo e o trabalho em equipe são muito valorizados hoje em dia, e todos buscam trabalhar desta maneira. Mas será que isso acontece, de fato?

Nossa experiência mostra que a realidade não é bem essa. Nas corporações, principalmente, há muitos interesses em jogo. Por mais que os objetivos da empresa estejam bem definidos para a entrega de serviços e produtos, os departamentos envolvidos podem não estar em sintonia ou em harmonia. Muitas vezes, há vaidades envolvidas, disputas de poder, desalinhamento e uma cultura que faz com que os profissionais pensem primeiro em se proteger contra qualquer falha e deixar um “culpado” pronto para receber as “punições”.

Esses ambientes sufocam o potencial dos profissionais e das equipes: opiniões de valor não são ouvidas (muitas vezes nem faladas), talentos são reprimidos e pessoas se tornam frustradas.

Não há trabalho colaborativo que resista.

É necessário, antes de qualquer coisa, haver uma cultura adequada, um ambiente propício para o trabalho em equipe, que pode trazer muitos ganhos às empresas e aos profissionais, com a contínua evolução da produtividade, o engajamento, o comprometimento e a (auto) motivação com a consequente felicidade pessoal.

Por este motivo, pedimos licença para explicitar pontos importantes na habilitação da  cultura colaborativa, colocando-os no manifesto a seguir. Nossa intenção é fomentar a discussão para reforçar a transformação cultural necessária e implantar os pilares de sustentação desta forma de trabalhar, cada mais mais imprescindível nos dias atuais.

Manifesto do Trabalho Colaborativo

Equipes felizes com o seu propósito, apaixonadas pelo que fazem, entregando resultados com alta performance, numa cultura genuinamente colaborativa.

Propósito

Precisa ser definido, comunicado de tal forma que gere o engajamento desejado para o atingimento dos objetivos.

Objetivo:

Todos têm um objetivo comum, com metas claramente definidas e convergentes, e são regidos pelo propósito.

Resultados:

Os resultados esperados são coletivos e naturalmente são superados em qualidade e agilidade. A inovação surge espontaneamente.

Gestão:

A gestão estabelece e zela pelo engajamento no propósito e a direção clara a ser seguida em todos os movimentos (ações, reuniões, decisões, comunicações), mantendo a equipe com foco no rumo traçado – não dizendo como fazer ou estabelecendo controles para checagem. A equipe decide como chegar lá.

O gestor trabalha com regras do jogo em evolução constante, expectativas claras e transparentes, criando uma cultura de contribuição, incentivando a troca de ideias, opiniões e a participação das pessoas, provocando discussões construtivas, alto grau de engajamento e prazer, com autonomia e responsabilidade para experiências e aprendizados – sabendo que sucessos e falhas fazem parte da jornada. 

Liderança, porém, não é uma característica apenas da gestão. É um estado de espírito. É a internalização consciente, pelos membros da equipe, da esperada atitude.

Equipe:

A equipe comunga de um propósito e é definida pelo objetivo a alcançar e não pela estrutura hierárquica, centro de custo, área, departamento, unidades, diretorias ou organização.

A equipe é especializada ou multidisciplinar, experiente ou iniciante, e trabalha coletivamente na busca da solução dos problemas.

A equipe é autônoma, autorregulada, comprometida, assume suas responsabilidades para realizar suas atividades e conquistar os seus objetivos.

A equipe aprende continuamente (tanto em relação à técnica quanto ao lado comportamental), analisando suas métricas, adaptando e evoluindo seus processos, buscando a excelência de suas entregas, construindo e mantendo um ambiente eficiente, lúdico, saudável e feliz.

Pessoas:

As pessoas recebem bem os desafios e mudanças e o aprendizado é constante.

As pessoas conhecem as regras do jogo e participam ativamente contribuindo, trocando ideias, opiniões, com discussões construtivas, alto grau de engajamento e prazer, com autonomia e responsabilidade para experiências e aprendizados – vivenciando seus sucessos e falhas.

As pessoas dão e recebem feedback de forma aberta e madura.

 

Qual é a sua opinião? Concorda com estes pontos? Venha fazer a sua contribuição e assinar o manifesto! Vamos transformar a cultura, modernizando a forma de trabalho na era do compartilhamento e contribuição. Assine o manifesto:http://manifestocolaborativo.org/manifesto-trabalho-colaborativo/#respond 

 

Cláudio Barizon, Fabrício Fujikawa e Jesuíno Lopes são signatários do manifesto


Leave a Reply

Receba nosso Boletim

Grátis, diretamente em seu email, artigos sobre métodos de startups aplicados a soluções empresariais.